quarta-feira, 10 de dezembro de 2014


"Às vezes beijo-te os olhos com sorrisos e mergulho no bater no teu coração. Fico assim, meia tonta, sem saber bem o que dizer, sem saber o que pensas... 
Às vezes imagino que sentes o mesmo que eu e abraço-te com o pensamento. Então ficamos assim, juntos, unidos, como se fossemos um só. 
Eu sei, eu bem sei que tenho uma imaginação muito fértil, que não interpreto bem os sinais, ou que os vejo como queria que fossem. Eu sei! Mas deixa-me ser assim, meia menina, meia mulher, meia de cabeça na lua...
Às vezes sonho contigo. E sim, sonho contigo acordada, mas é tão real, que chego a sentir o teu perfume, o teu cabelo entre os meus dedos, a tua pele no meu rosto, os teus lábios na minha língua ávida de ti. E então... e então sabes bem o que acontece a seguir, quando me deixo levar pela imaginação. O mundo não respira por breves momentos e acontece apenas magia.
Às vezes, quando ouço a tua voz, as palavras transformam-se e saem apenas vocábulos confusos, que me entram nos ouvidos como palavras de amor. 
Às vezes sei que sou mesmo tonta e odeio-me por ser assim, mas insisto em beijar-te os olhos com sorrisos, em ser apenas eu, apaixonadamente mulher."


(Vera Sousa Silva)



Sem comentários:

Enviar um comentário