sábado, 30 de janeiro de 2016

Foi há precisamente...

...dois aninhos que este cantinho nasceu   e já teve mais de 30000 visitas :)

Obrigada a todos os que passam por aqui :)

Kisses 

P.S. depois de um problema de ordem técnica, quase solucionado, prevê-se que  a programação volte ao normal dentro em breve :)


quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

The Lie We Live...

.. é um excelente documentário, de pouco mais de 8 minutos, realizado por um jovem que nos dá um valente ”murro no estômago” para acordarmos deste sono profundo de ilusão em que a maioria de nós vive!

Vale mesmo a pena ver este video e reflectir sobre tudo isto!


terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Ele sempre ouviu dizer que, para apimentar uma relação, os eles e as elas devem dizer-se palavras feias. Especialmente sopradas, humidamente, ao ouvido. Sempre ouviu dizer que isso ajuda a manter a chama viva. Mentira! Tão grande mentira! Ele e ela há muito que se dizem palavras feias, e sempre foi depois de se dizerem essas palavras feias que foi como se duas chamas, cada uma no centro do peito de cada um deles, ainda que se mantivessem acesas, os deixassem frios nos lugares onde os peitos se juntam e nos lugares onde os dedos se encaixam. ‘Adeus’ é, de entre todas as palavras que há muito se dizem, a mais feia. E vêm-se dizendo outras palavras horríveis como ‘até amanhã!’, ‘até para a semana!’, ‘vou ter saudades tuas!’ e outras que não temperam a relação com picante, antes a temperam com um amargo que sabem que é por pouco tempo, mas que sabem mal no palato, até ao beijo lânguido que as lave das suas línguas com um doce-picante que vem com as palavras bonitas ´voltaste, amor!’, ‘abraça-me!’, ‘ficas?! e ‘fico-te sempre aqui!’. Especialmente com ‘Fico-te sempre aqui!’: com uma mão dele sobre a meia esquerda da parte anterior do corpo onde o coração dela mora. O que mantém viva a chama é o dizerem-se palavras bonitas e, na impossibilidade de elas serem ditas e trocadas, da memória do mais inesperado ‘amo-te’ dito ao dobrar da esquina de outra coisa dita qualquer, e no regresso, com um amor tão flamejante como o de antes de um tremendo ‘Tenho mesmo que ir!’.
Palavras para ti: “Para ti, hei-de sempre voltar!” – Acha-las bonitas, amor?

(Sérgio Lizardo)


segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

R.I.P

O meu primeiro contacto com a musica deste senhor, foi num filme que vi no inicio da minha adolescência e que mudou o rumo da minha vida, (que poderia ter enveredado por caminhos menos bons) Christiane F. Não sou fã dele, mas gosto de algumas musicas e sempre que o ouço lembro-me do filme e do rumo que a minha vida levou!

R.I.P David Bowie






domingo, 10 de janeiro de 2016

A beleza...


...deste planeta que tão mal tratamos!


"Em todas as coisas da natureza existe algo de maravilhoso"
(Aristóteles)

Gosto do original...

... e destes também :)

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Consegues sentir-me a sentir a tua falta? Consegues aperceber-te o vazio que me és? O silêncio que me ecoas? A ausência que me causas? A fome que me não matas?

Consegues? Sentir-me a sentir-te? Sentir o que me és? Sentir o que me embacias a razão e me toldas o pensamento? Sentir o que se me encerra no peito? O que cala o coração?

Consegues? Sentir o que te sinto?
(Rita Leston)


terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Et c'est la que tu te dit …

...mon dieu les années passent trop vite !!!

Mais je vais essayer d'atteindre mon but, ça c'est sur :)