sábado, 21 de novembro de 2015

A festa da hipocrisia!

"Estamos perto do Natal...haverá luzes, festas, árvores iluminadas, presépios, (...) mas é tudo falso..."
(Papa Francisco)

  
Lá fora um frio de rachar. Era quase sempre assim. São raros os Invernos em que as temperaturas fiquem acima dos zero graus naquele local. Os dias eram pequenos, a noite chegava cedo. Mas aquela noite era sempre especial, não que tivesse muito de diferente das outras noites a não ser pelo repasto. Tinha o bacalhau com as couves. Tinha o arroz de polvo, acompanhado com os tentáculos mais grossos do polvo, fritos. Tinha as filhoses. Tinha as rabanadas e nunca poderia faltar o arroz doce e a aletria. O jantar daquela noite era à mesma hora do jantar dos outros dias. A única diferença, eram as iguarias e por conseguinte, mais demorado. Depois? Depois íamos até ao largo da aldeia, aquecermos-nos naquela fogueira gigante que todos os anos se fazia e que ficava acesa até ao dia de Reis…
Havia o presépio na igreja e a missa do galo …
Antes de de irmos para a cama a mãe dizia:
- Vá, vão lá por os sapatinhos debaixo da chaminé, é Natal e pode ser que o menino Jesus deixe lá alguma coisa…
E nós, lá deixávamos o nosso sapatinho. Íamos para a cama a desejar que a noite passasse depressa. Como era longa essa noite!
A manhã chegava e lá corríamos nós para a chaminé…dentro de cada um dos sapatinhos estava um pequeno pacotinho de papel com umas estrelinhas azuladas e dentro destes, uma dúzia de confeitos coloridos. A felicidade que sentíamos naquele momento era indescritível! O menino Jesus tinha-nos deixado no sapatinho umas guloseimas – uma raridade lá em casa!
Vestíamos  roupa nova, íamos  à missa beijar o pezinho do menino Jesus e agradecer aquele presente. NADA SOAVA A FALSO!
Já havia guerras no mundo e muita fome, como sempre houve…mas, havia, também e sobretudo AMOR e era essa a magia do Natal o Amor que nos rodeava dentro e fora de casa!

Depois, veio o Pai Natal e com ele, não o coelhinho e o palhaço no comboio para nos levar ao circo, mas o consumismo desenfreado com que educamos as crianças  de hoje, que desconhecem completamente, o que é a magia do Natal…

…e os adultos também!
BeijoMolhado





4 comentários:

  1. … porque no pior dos cenários deveria se uma desculpa para fazer algo ligeiramente diferente para melhor e não uma obrigação de comprar seja o que for… bom vídeo o que escolhes e não surpreende (sendo perverso, é até uma excelente tentativa de que se gaste nas lojas deles e não nas outras…)

    Beijinho,
    FATifer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. FATifer,
      por se ter tornado uma obrigação, deixei de o fazer há já algum tempo!
      Quando quero oferecer alguma coisa a alguém, faço-o pelo prazer que me dá fazê-lo e não porque é Natal!
      (sem duvida que o promotor do video, teve os seus benefícios...)

      Beijinho e uma óptima semana :)

      Eliminar
  2. Bem,...
    ...eu já não ligo NADA ao Natal há muitos anos!
    ...ou por outra, não ligava, que a Mini Me ainda acredita no Pai Natal, portanto ainda há um pouco de magia lá em casa!

    Mas quando ela deixar de acreditar...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. C.N.Gil,
      tenta que seja magia mesmo sem que o consumismo se sobreponha a ela!

      :)

      Eliminar