terça-feira, 24 de março de 2015

Adenda ao post anterior

No post anterior publiquei  um poema que me foi entregue pelo autor... e, verifiquei agora ao remexer nos meus papeis, que a acompanhá-lo, vinha também um Proémio sobre o mesmo que o autor escreveu 10 anos depois!
E não podia deixar de o postar também!


PROÉMIO SOBRE O MONSTRO DIFUSO

Cale-se de Pessoa o abstruso Mostrengo
Que chiava sobre as naus de D. João II
Sou eu o Monstro-mor e mais horrendo
O derradeiro Monstro que paira sobre o mundo!

(Leonel Santos - Julho de 2014)

Sem comentários:

Enviar um comentário